sábado, 20 de fevereiro de 2021

Torcedores, calma


Antes de qualquer coisa, vamos falar sobre o elefante da sala. Há torcedores do Titans no Brasil? Sim, temos torcida aqui, mas e se não tivéssemos? Se eu e o Marcelo fossemos os únicos? Foda-se. Ele torce para o Flamengo e eu para um time que eu não merece ser citado. A gente já divide as nossas paixões com milhões de pessoas. Então tá de boa demais.


Voltando ao que interessa, o blog está mais morto que o nosso pass rush. Eu sei que não é o ideal, mas foda-se de novo. Não ganhamos nada pra isso e nunca vamos ganhar, então vai ser assim sempre, hahaahaha.


Aconteceu pouca coisa desde o último post, né? Só o fim da temporada, o Titans perdendo mais um coordenador ofensivo, o Vrabel irritando geral novamente e o Isaiah Wilson fazendo merda. E eu vou falar hoje de tudo de ruim que rolou desde que o sonho de ganhar o Super Bowl acabou. 


Fora dos gramados, o que mais enlouqueceu a torcida foi a permanência de Shane Bowen no comando da defesa. Para quem estava em coma, eis o que rolou:


Vrabel finalmente assumiu que o Bowen foi o coordenador de defesa. Talvez aí estivesse o problema. Pagaram um salário de assistente sendo que o cara teve trabalho de coordenador. Como que rende assim? Vai lá negociar com o patrão, otário, ahahahaha.  


Brincadeiras à parte, eu não faço ideia do porquê desse fuzuê todo, mas perceberam que não pegou bem e decidiram desfazer a palhaçada. Eu realmente não esperava pelo retorno do Bowen. A defesa foi horrível de setembro a janeiro. Claro que as lesões atrapalharam demais, mas tomar 30 pontos do Jaguars, não conseguir um sack contra a OL reserva do Bengals e levar 5 TDs seguidos contra o Browns não dá. Algo precisava ser feito, porém eles não fizeram nada.


Eu acho que isso só aumenta a pressão sobre o Vrabel. Ele vai começar 2021 sabendo que a sua unidade precisa mudar da água para o vinho. Ele foi contratado para ajudar a defesa, e desde que chegou a Nashville, a gente foi no máximo medíocre. O ataque quem levou o time aos playoffs em 2019 e 2020. 


Uma vez que o Bowen vai ficar, vamos tentar analisar as coisas de uma forma mais cerebral. Coloque uma coisa em sua cabeça: defesas são mais irregulares. Independentemente do talento no elenco e de quem comanda, essa unidade é suscetível à variância. E novamente, o Bowen não destruiu uma defesa maravilhosa. Mesmo com o Pees chamando as jogadas, o Titans nunca deixou de ser medíocre. 


Fui em busca de alguns números e me assustei com o que eu encontrei. Em sua história, o Titans já teve defesas incríveis, e a melhor delas foi a do ano 2000. Essa defesa, inclusive, foi a melhor da liga. Ao fim da temporada, o coordenador Greg Williams (aquele que foi demitido dos Jets) virou o HC do Bills. Jeff Fisher então decidiu dar uma chance ao jovem Jim Schwartz, até então um cara com experiência treinando LBs e OLBs (olha as coincidências). O que aconteceu? A melhor defesa da liga se tornou a sexta pior. Imagina a gritaria se houvesse Twitter à época, mas graças a Deus só havia o bate-papo do Uol.


Schwartz ficou e o trabalho dele em 2002 foi medíocre. E aí? Cabeças rolaram? Nada de novo. Jeff  “El Bigodón” Fisher manteve o guri e na temporada seguinte a gente voltou a ter uma defesa topzera. 


Bowen vai repetir Schwartz? Não sei, mas se o Vrabel realmente acredita que o seu assistente é alguém promissor, ele está certo em oferecer uma segunda chance, principalmente se a gente levar em conta que 2020 foi 2020, né? Além da pandemia, o time teve um azar desgraçado com as lesões. 


Passado a limpo a treta Bowen, é hora de falar do outro coordenador do time, o Todd Downing. Essa promoção não me surpreendeu em nada, aliás, não entendi o porquê de tanta euforia quando o Titans realizou mais uma série de entrevistas falsas. Sério, isso me irrita pra caralho e já vem acontecendo desde 2016, quando efetivamos o Mularkey. Parem de entrevistar pessoas que vocês não têm interesse em contratar, porra. 


Se tem algo que ninguém da nossa imensa torcida pode reclamar é do ataque. Os caras entregam mesmo, e dar continuidade era algo óbvio. Agradecemos demais ao Arthur Smith, vulgo menino FedEx, por todos os serviços prestados, mas a fila anda, querido. Boa sorte em Atlanta. Agora a pica é do aspira. 


Downing passou as últimas duas temporadas treinando os TEs, cargo que já foi do Smith. Ele veio de Minnesota, onde chegou a trabalhar com o Kevin Stefanski. Tanto o Stefanski quanto o Smith usam o wide zone offense. Se você não sabe o que é, google it, bitch. É o ataque da moda e ele encaixou como uma luva no Titans. Chutamos a bunda de quase todo mundo desde que o Tannehill virou titular. 


Downing vem do West Coast Offense, mas aqui ele vai enfiar o wide zone na goela da galera. Espero que ele tenha aprendido com os erros do Smith, que é um homão da porra, mas que vacila. Precisamos arriscar um pouco mais nos primeiros downs e pelo amor de Deus: COLOQUEM A BOLA NAS MÃOS DE ARTHUR JUAN BROWN. Sério, esse menino precisa de no mínimo uns 10 targets por jogo. Em 2020, com um joelho todo fudido ele já foi um monstro, imagina 100%? 


O ataque vai sofrer mais que a defesa com algumas perdas, porém hoje eu vou falar das coisas ruins. A brincadeira de ser GM fica para um post futuro (até parece, ahahahaha). Dito isso, espero de verdade que o Downing coloque o seu “Tompero” nesse time, mas sem se tornar "a vergonha da profissão". Foi divertido demais ver esse ataque em campo e eu amo muito mandar um CHUPAAAAAAAA a todos que ousaram questionar a dupla Ryan Tannehill e Derrick Henry. Se a Amy Adams precisasse, eu mesmo pagaria o salário dos dois, e eu tenho grana pra isso. 


Chegamos à cereja do bolo, ao crème de la crème, à última bolacha do pacote, ao potinho de sorvete que na verdade tem feijão. É hora de falar de Isaiah Wilson. O que dizer sobre esse jovem de 22 anos que está prestes a colocar o seu currículo no Catho? É chato comemorar a demissão de alguém? Claro que não, meu caro leitor. Principalmente quando se trata de um bostão desse aí. 


Recapitulando a história: o menino Wilson é o famoso 171. Aplicou a lábia no Titans, disse tudo que a galera queria ouvir e depois que ficou milionário ligou o foda-se. Não tem outra forma de contar essa história. Fomos ludibriados. Acontece na NFL, mas com GMs merdas, né? Robinson foi juvenil nessa e a falta de um first round pick prejudicou o time. 


Robinson não corre risco algum de ser demitido, mas fica o alerta. Agora estão surgindo histórias de que o Wilson tinha red flags, que todo mundo sabia disso e blá, blá, blá. Se todo mundo sabia por que não falaram? Moleque sempre pareceu ser um cara vidrado no esporte, estudioso mesmo, mas era caô. Como cantou o Molejo:


“Não era amor, ôh, ôh

Não era

Não era amor, era

Cilada”


Pensando no bem estar das 15 pessoas que vão ler este texto, eu vou encerrar por aqui. Se não gostou das brincadeiras e dos palavrões, o meu mais sincero foda-se. Beijos e se cuidem. Não podemos perder nenhum torcedor! 


TITANUP


2 comentários:

Professor Marcelo Arantes disse...

Muito bom ... Saudades dos seus textos Scorvo!

Henrique Casas disse...

FINALMENTE VOLTARAM, gosto muito dos textos, não parem