terça-feira, 15 de setembro de 2020

Aquele 1%


Sempre que se falar do Titans de 2020 é preciso abordar uma inevitável regressão. O exercício de levantar esse debate não é um questionamento aos nossos jogadores, esquema e técnicos, e sim um entendimento de que o que ocorreu no ano passado é insustentável. 


Assim que Ryan Tannehill assumiu a titularidade, o nosso ataque passou a ter um desempenho avassalador, principalmente na red zone. Equipes mais talentosas e entrosadas não igualaram os nossos números. Acredito que o novo QB do time possa manter um nível de jogo superior ao que mostrou em sua passagem por Miami, mas o que vimos no ano passado não vai se repetir.


Na partida de ontem, a regressão não deu as caras em Denver. O time mais sortudo de 2019 voltou a avançar pelo campo e poderia ter ultrapassado a barreira dos 25 pontos se o Imponderável de Almeida não tivesse aparecido no estádio Empower Field.


Acha tudo isso uma bobagem? Então olha esse levantamento da equipe do NextGen, da NFL. O nosso novo (e espero velho kicker) Gostkowski errou chutes de 47, 44 e 42 jardas em que a probabilidade de acerto era de 75,8%, 78,% e 81,8%, respectivamente. A chance de isso ocorrer em uma única partida antes do último período é de 1 em 105. Então, caro torcedor, aquele 1% veio bater à nossa porte, mas nós conseguimos desviar dessa bala. 


Antes de abordar outros aspectos do jogo, é preciso ressaltar que enfrentar os Broncos fora de casa no início da temporada é um pesadelo para todos na liga. Desde 1975, o time da AFC West possui 48 vitórias e 8 derrotas jogando em seus domínios nas primeiras duas semanas, sendo que as sete equipes que derrotaram os Broncos antes de 2020 terminaram suas campanhas com pelo menos 8 triunfos. 


Seria leviano não destacar que a partida foi ficando mais acessível ao Titans no decorrer dos últimos dias. Na preparação para a estreia, os Broncos perderam o OLB Von Miller e o WR Courtland Sutton, suas principais estrelas. Do nosso lado, não entraram em campo o CB Adoree’ Jackson, que também não joga as próximas duas partidas, o RB Darrynton Evans e o EDGE Vic Beasley. Logo no início do confronto, o ILB Rashaan Evans conseguiu ser expulso. O CB Jonathan Joseph e o OT Taylor Lewan chegaram a perder snaps por causa de lesões, mas retornaram antes do término do embate. 


Mesmo desfalcado, além de limitar o Henry a menos de 4 jardas por carregada, os Broncos conseguiram incomodar bastante Tannehill. A equipe do Colorado venceu a batalha nas trincheiras com 1 sacj, 7 hits e vários pressures, porém atuações sólidas dos nossos WRs e TEs, principalmente o Corey Davis, que não estava 100%, foram cruciais para o bom andamento do ataque. 


Tannehill, por sua vez, fez um jogo sólido. Nessa segunda-feira, nós vimos bastante do que ele mostrou em 2019. Precisão nos passes intermediários, capacidade de ganhar jardas com suas pernas, coragem necessária para lançar nas tight windows e problemas para lidar com a pressão. 


As estatísticas tradicionais não estão ao nosso a favor, afinal, marcamos 16 pontos apenas, mas os números avançados mostram que o nosso ataque cumpriu bem o seu papel. Foram poucos drives curtos, mesmo com a equipe começando muitas campanhas em posições ruins. O GWD, por exemplo, teve início na nossa linha de 10 jardas. 


A defesa também pode jogar bem mais. Acredito que os desfalques atrapalharam bastante o desempenho da turma comandada pela dupla Vrabel e Bowen. Tínhamos somente três EDGEs, e entre eles o recém-chegado Jadeveon Clowney. Não seria loucura ver o Evans ganhando alguns snaps nessa posição em 3rd downs, como já ocorreu anteriormente, mas o ILB fez o favor de ser expulso, né? 


A secundária foi ainda mais afetada. Jackson é o melhor CB do time e sem ele o Titans ficou impedido de jogar em man coverage. Como o calouro Kristian Fulton ainda se recupera de uma lesão, o outro rookie Chris Jackson teve muito tempo de jogo, o que não é o ideal. O veterano Joseph não comprometeu, mas não estava em nossos planos depender tanto dele assim. 


Já o Special Teams foi um desastre, e, infelizmente, estamos nos acostumando com isso. O nosso aproveitamento nos FGs tá beirando o ridículo. São nove acertos bos últimos 22 chutes. Tem noção de como isso é ruim? Sem falar nos XPs perdidos. Como diria Cerginho da Pereira Nunes: DOIDERA! 


Contratado para solucionar os nossos problemas, Gostkowski me fez sentir saudades do Cairo Santos. Não pensei que ele sofreria com uma partida em Denver, mas foi tenebroso. A OL e o nosso long snaper não se saíram bem, mas na altitude os chutes de menos de 50 deveriam ser automáticos.  


Não foi bonito, mas foi o suficiente para garantirmos a primeira vitória de 2020. Agora o Titans vai ter uma semana mais curta para se preparar para um confronto dentro da divisão. No domingo, às 14h, nós enfrentamos os Jaguars no Nissan Stadium



. Vai ser mais um jogo complicado, principalmente se a gente não contar com a volta de alguns defensores. 


TitanUp!

Nenhum comentário: