segunda-feira, 5 de maio de 2014

O caso do ... trade down

Prá fechar a série (eu sei, eu disse que iria fazer o segundo round, mas são opções demais, sendo assim vou parar por aqui), vou considerar a hipótese do time fazer um trade down. Trade down é quando dois times trocam de escolha, o time que sai da posição e vai para uma posição inferior está fazendo um trade down, o outro time está fazendo um trade up. Este processo, exige algum tipo de compensação pelo time que está fazendo o trade up, normalmente trocam-se escolhas de drafts (no draft atual ou futuros) ou jogadores. Existe uma tabela contendo o valor de cada escolha (http://www.drafttek.com/NFL-Trade-Value-Chart.asp) , assim, se o Atlanta que tem o pick 37 quiser subir para o pick #34 de Washington, ele deve acumular 560 pontos, eles podem então dar o pick #37 e o pick #147 para o Washington (o que daria em pontos 530 + 32,6 = 562,6, Atlanta deveria pedir um 7º round do ano que vem para pegar de volta estes 2,6 que sobraram), nunca é uma negociação fácil e tem que se ter um parceiro. Com isto em mente e sabendo que nosso pick #11 vale 1250 pontos, vamos às possibilidades ...

Por que fazer Trade down? Com o pick #11 os jogadores presentes (os OLBs) podem não estar presentes, os QBs não merecem um pick tão alto. O time não tem um pick de terceiro round e quando se tem uma nova comissão técnica toda escolha possível é ainda pouca. Esse draft é profundo em bons jogadores, então se conseguirá um jogador bom, mesmo fazendo um trade down.

Por que não fazer Trade up? Na verdade existem especialistas dizendo que deveríamos fazer um trade up e pegarmos Khalil Mack (isto ficaria caro demais, sem chances). Na NFL é preferível ter um excelente jogador (que supõe-se que conseguiremos no pick #11) do que ter dois ou três bons jogadores.

Possíveis trocas: Dallas pegam os pick #11 e #228 (1252 pontos); dão os picks #16, #78 (terceiro round) e #119 (quarto round), total de pontos 1256.

Baltimore sobem para o pick #11 e  (1250 pontos) e dão os picks #17 e #79 (terceiro round), fazendo 1145 pontos e um quarto round (entre 40 e 96 pontos) em 2015.

Sugestão de escolha para os picks #16 e #17: Darqueze Dennard - CB:



Green Bay sobem para o pick #11 (1250 pontos) e dão os picks #21, #53 (segundo round), #161 (quinto round) - total (1197 pontos) e um quarto round em 2015. Sugestão de Pick: Kony Ealy - OLB:


Outra opção para o pick #21 seria C. J. Mosley (http://titansbrasil.blogspot.com.br/2014/05/o-caso-de-c-j-mosley.html), se o mesmo sobrasse.

San Francisco sobem para o pick #11 (1250 pontos) e dão os picks #30, #61 (segundo round) e #77 (terceiro round) - total (1117 pontos) e um terceiro round de 2015. Um dos QBs (http://titansbrasil.blogspot.com.br/2014/05/o-caso-dos-quarterbacks.html) ou Carlos Hyde - RB:



Minha opinião? Pega uma troca com San Francisco, pegue os melhores jogadores possível com os picks que eles vão nos dar (no caso teríamos 1, no primeiro, 2 no segundo e 1 no terceiro), construa uma boa base para o futuro e não olhe para trás para o excelente jogador que vamos deixar de draftar!

Go Titans!



8 comentários:

Saulo Rosa disse...

Sou completamente a favor de um trade down.

O GM já deu insinuações que gosta dos WR dessa safra. Alem disso, existe altas probabilidades de pegarmos um QB, RB e OL.

Paralelo a isso acho que deveríamos concentrar nossas escolhas mais na defesa do que ataque. Ou seja, precisamos de mais escolhas, é inevitável.

Welmer disse...

Essa ideia de fazer um trade down me agrada muito. Temos boas opções de escolha no pick #11, mas acho que nesse momento é melhor conseguir mais escolhas e tentar montar um bom time com as escolhas realizadas a partir de um trade down, que apostar num excelente prospect vindo a partir do pick #11. Acho que mesmo pegando uma posição mais baixa no primeiro round deverá ter bons valores que podem ser bem aproveitados dentro da equipe. Das diversas opções que apresentaste, essa é que eu gostaria que acontecesse, principalmente se fosse um trade com os Niners ou com os Packers.

Diego Scorvo disse...

Última vez que o Titans fez uma grande troca foi um desastre. Nosso time ñ é tão fraco a ponto de precisar de picks de forma desesperadora.

Professor Marcelo Arantes disse...

Mas eu acho que a questão de ter muitos picks é dar flexibilidade ao técnico, tem talento na DL? Sim, mas e se eles não forem bem na transição esquemática? Tem qu ser flexivel e ter qualidade para mudar, por isto, este ano acho que quantidade é importante.

Diego Scorvo disse...

Gosto de trocas quando você se mexe para pegar alguém.

Professor Marcelo Arantes disse...

Faz sentido Diego, normalmente esse é o raciocínio do Trade up, o trade down seria: tenho uma boa oferta, não tenho alguém que gostaria aqui e na outra posição terei um bom jogador. Webster tem 26 jogadores como 1st round pick, então não acho que ele vá fazer troca com os 49s com os outros ele deve acreditar conseguir um bom jogador e mais alguns picks ... vamos ver.

Professor Marcelo Arantes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diego Scorvo disse...

Nossas trocas assim se mostraram mais acertadas. Hunter e Cook renderam mto.