sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A era Vince Young (parte 03)

Em 2008 Vince Young era um nevoeiro de desconfianças. Mais uma vez ele chegava à temporada regular como o QB titular, mas como de costume sem grandes armas ao seu lado. A linha ofensiva já havia atingido a maturidade necessária para brilhar e Lendale White era um RB seguro, mas o grupo de receptores era fraco, um dos piores da liga. No draft, Tennessee pela segunda vez consecutiva escolhe o jogador mais rápido do recrutamento, o RB Chris Johnson. Ao contrário do Chris Henry, CJ prometia muito e jogando ao lado do titular Lendale White, a dupla poderia aterrorizar a liga.
Logo no primeiro jogo do ano contra o Jaguars uma contusão no joelho afasta Vince Young por oito semanas. No seu lugar, Kerry Collins entra em campo e leva ao Titans a 9 vitórias consecutivas, o título da divisão e a melhor campanha da AFC. No banco, desmotivado e desinteressado, Vince Young mostra toda a sua imaturidade. Na segunda rodada ele some, sua mãe aflita liga para Jeff Fisher que é obrigado a relatar o caso a polícia. Um ano antes, o QB havia dito aos repórteres que ele pensou em se aposentar após o seu ano de calouro, tamanho a pressão que ele sofria. Acredito que foi nesse momento que o Jeff Fisher passou a desconfiar da real capacidade do QB levar o time a vitórias. Dentro de campo Vince Young era guerreiro, ativo, mas fora parecia uma criança mimada, que sentia falta da bajulação que ele tinha no Texas.
Já classificado e sem nenhum motivo para colocar os titulares em campo, na última rodada Vince Young teve oportunidade de jogar contra os Colts em Indianápolis. Jogando ao lado dos reservas, ele não conseguiu produzir nada e mostrou pouca ou nenhuma vontade.
Sendo titular em apenas uma partida e sabendo que em 2009 seria reserva, a próxima temporada era a mias difícil para Vince Young.

Um comentário:

Anônimo disse...

Pede pra sair Jeff Fisher!!!!

hehehe e ele SAiU!!! tava mais do que na hora que seja feliz....

vamo que vamo vida nova animo novo

GO TITANS!!!

Diego Freitas
@diegorio